domingo, 25 de junho de 2017

Baden-Baden - Floresta Negra e Águas Termais


Baden-Württemberg é uma das regiões mais famosas da Alemanha. 

Nela fica a Floresta Negra, e a rota romântica, levando casais apaixonados a visitar castelos e desfrutar de inúmeras paisagens maravilhosas.



Das várias lindas cidades, escolhemos Baden-Baden. A cidade é famosa por suas águas termais, mas também possui cassino, parque, deliciosos restaurantes, e muita história.


A região de  Baden-Baden foi habitada desde 80 d.C, por povos celtas, mas nos primeiros anos da era moderna, os romanos conheciam sua fama, justamente por causa das águas com propriedades terapêuticas - Marco Aurélio, Imperador Romano, era um dos mais assíduos frequentadores.

Não apenas de glória viveu Baden-Baden, sendo quase que totalmente destruída na Guerra da Sucessão, transformando-se, posteriormente, em um dos mais disputados destinos da Europa.


Há de se compreender! A pequena vila possui praças e jardins deixando o clima mais romântico e aprazível. Com tantos turistas, especialmente aristocratas, a cidade investiu em cultura e lazer.

O lindo e grandioso teatro foi construído em 1862, e possui sua própria companhia teatral.



Outra grande obra é o cassino, que permite a visita em algumas áreas, mas para participar da jogatina, apenas com traje passeio completo (até os dias atuais).



Bem em frente à praça do Teatro se inicia um passeio com um trenzinho, que percorre toda a cidade. Passeio gostoso, e que permite um breve descanso.



Andando pela cidade logo se deparará com um Parque que possui 3km (três quilômetros) e é considerado um dos mais lindos dentro das cidades. Ele foi planejado em 1665 e possui aproximadamente 300 (trezentas) árvores, aliando cultura, natureza e prazer.  No final do parque fica o clube de tênis mais antigo da Alemanha.



O Rio Oss nasce na Floresta Negra e passa pelo parque; nota-se que muito da cidade gira em torno deste enorme jardim.



Como já dito desde o início, as águas termais fizeram vários personagens se dirigirem à Baden-Baden, e pagar por este "luxo" é possível!

Originalmente tinham-se as ruínas de banhos romanos, com fontes de mais de 2000 anos. Hoje há duas Thermas: Friedrichsbad e as Thermes de Caracalla.


As Thermes de Caracalla foram inauguradas em 1985. A entrada custa 15, mas como não levamos toalha, precisamos pagar também por ela: pagamos 16 pela toalha, e com a devolução desta, há o reembolso de 10.


Há sauna, solarium, e as piscinas de águas termais. Para frequentar a sauna é imprescindível que esteja nu; nas piscinas, utilizam roupa de banho (biquini, maiô, sunga e short). Cada uma das piscinas possui uma temperatura diferente, com o tempo indicado para nela permanecer. A que mais gostei possuía temperatura de 38ºC, enquanto outras tinham 34ºC e 18ºC.

Um último passeio imperdível é subir o Furnicular (4) e ter uma vista sensacional de toda a cidade, e até da França. Amplo espaço para atividades ao ar livre, e um restaurante/café permitem aproveitar o tempo nas alturas. Para voltar, há duas linhas de ônibus, com o preço do ticket individual por 3,40. 




Não deixe de aproveitar o famoso bolo Floresta Negra, tradicional na região. Como sugestão, o Café König, bem no centro, e super charmoso. A fatia do bolo custou 3,80.



Se quiser uma lembrança muito especial, escolha seu relógio Cuco, afinal, Baden-Baden é a cidade criadora deste ícone.

Sugestão de hospedagem:
> Hotel Haus Reichert - super bem localizado, ótimo atendimento e preço justo.

Sugestão de restaurante: Löwenbräu - ótimo para aproveitar a culinária alemã.
Junto a este restaurante também há um hotel, mas não o conhecemos.
  

domingo, 4 de junho de 2017

Castelo de Vianden - para amar ainda mais Luxemburgo!


Meros 36 (trinta e seis) quilômetros de distância. Esse é o trajeto a ser percorrido a partir de Luxemburgo até chegar a Vianden.

A pequena e linda cidade confirma a beleza de todo o país. 


O imponente Castelo ao alto do morro encanta e nos transporta para os séculos XI e XIV, período de construção deste.


Inicialmente o Castelo era propriedade particular, pertencendo ao Conde de Vianden. A "época de ouro" do Castelo se deu entre 1220 e 1250, com o Conde Henry I de Vianden, conhecido como "The Sun Count".

Posteriormente, o Castelo possuiu outros proprietários, vindo a decair no reinado do rei Guilherme II da Holanda (1820), pois foi vendido peça por peça, ficando apenas os seus escombros.

Em 1977, o Castelo de Vianden foi comprado pelo Grão-Duque de Luxemburgo, transferindo a propriedade para o Estado, momento em que se reiniciou a restauração.


Das várias histórias que o Castelo possui, uma das que mais chamou minha atenção se refere à religião e castas sociais.. A Capela é muito diferente, e possui 2 andares. No andar superior ficavam os religiosos, Condes, e outras pessoas da alta sociedade, enquanto no inferior, os serviçais - apenas ouviam o rito religioso, mas não podiam ver o que ocorria.



Há também um poço, datado de 1200, com 54 (cinquenta e quatro) metros de profundidade, sendo o único ponto de água do Castelo. Imagino a dificuldade de transportar água para a higiene pessoal.

Personagem importante do Castelo foi "Vic" Abens, levando a grande sala para reuniões o seu nome. Victor Abens nasceu em Vianden e iniciou um movimento de resistência na Segunda Guerra Mundial, vindo a ser preso em várias cidades. 

O Castelo possui uma cave, que mantém, todo o ano, a temperatura entre 10 e 12 graus.


Junto ao Castelo  fica a Rede Nacional de Trilhas Pedestres, perfeito para trilhas, descobrindo a natureza e mais da história local (são 24 kms...). O sentido que se inicia nas proximidades do Castelo se chama "Victor Hugo", por ter o famoso escritor morado lá por cerca de três meses em 1871

Atualmente se encontra sob análise da UNESCO o pedido de reconhecimento de Vianden, e o Castelo, como patrimônio histórico, arquitetônico e religioso.



Serviço:

Ingresso: 

  • Adultos 6 
  • Crianças 2 
  • Idosos 5 
  • Estudantes 4,5 
Audioguia: 2 

O Castelo abre sempre às 10:00h, mas o fechamento depende da época do ano (entre 16:00h e 18:00h).

Site: www.castle-vianden.lu

Já conhece? Conte para nós sua experiência!


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Sabores para POCAR!!!


Entre os dias 07 e 09 de abril aconteceu o 2º Pocando no ES, encontro de blogueiros de viagens, para descobrirmos mais o Espírito Santo.

O destino? As praias do litoral sul, englobando especialmente os municípios de Marataízes, Anchieta e Guarapari.

Além do visual maravilhoso, degustamos os sabores que o litoral nos oferecem e posso dizer que foram inesquecíveis.

A primeira dica é o Restaurante do Gilson. O Chefe Gilson Surrage é o responsável pela cozinha movida a frutos do mar há 23 anos, e nos serviu, no Hotel Espadarte, paella e bobó de camarão, que fez todos os participantes repetirem (mais de uma vez) o prato.


Também fomos muito bem servidos no Restaurante Recanto da Pedra. Além da vista maravilhosa, o Chefe André Cicilioti fez os participantes descobrirem a torta capixaba. Delicadamente deitada em folha de bananeira, a tradicional torta marcou os corações dos blogueiros.


Importante dizer que a Torta Capixaba, em regra, é servida nos restaurantes do Espírito Santo apenas na Semana Santa, momento em que os Cristãos não comem carne vermelha. Há duas tradicionais receitas: a primeira é também chamada de "completa", pois leva bacalhau, palmito, sururu, caranguejo, siri; já a segunda, apenas bacalhau e palmito. A completa é originária da Ilha das Caieiras (já contamos aqui!) em razão da proximidade do mar e das maravilhosas desfiadeiras de siri. Já a de bacalhau com palmito tem mais presença no interior do Estado.


Para finalizar este tour gastronômico, o Restaurante Gaeta nos "brindou" com a moqueca capixaba. O prato mais emblemático do Estado é deliciosamente acompanhado de arroz, pirão e moqueca de banana (amo!!!). O auge foi ser recebida pelo Senhor Nhozinho, moquequeiro, e responsável pelo tradicional restaurante. Quer a receita? A Viajante Comum te dá! O blog Viagem Massa também conta a experiência.


Em todo litoral do Estado os frutos do mar são fortemente presentes na culinária, em especial, a moqueca e o bobó de camarão.


Visite o Espírito Santo e conheça estes sabores!

O blog O Melhor Mês do Ano também tem dicas de onde comer, para ficar babando!

- As refeições mencionadas foram servidas gratuitamente a todos os participantes do Encontro Pocando no ES.  

BLOGS PARTICIPANTES DE FORA DO ES:

  • Bagagem de Memórias
  • Viajadas
  • Eu vou de mochila
  • Tô Pensando em Viajar
  • Viajante Comum
  • Viagens Cinematográficas
  • Mochilão Barato
  • Mineiros na Estrada
  • Catálogo de Viagens
  • O Melhor mês do ano


BLOGS CAPIXABAS:
  • Um Olhar Novo
  • Caixa de Viagens
  • Terra Capixaba
  • Guia e Turismo (guia)
  • Casal Viagem
  • Viagem Massa
  • Pelo Mundo com Manu 
  • Destinões
  • Tudo é Mara
  • Aline Approves
  • Caminha Gente
  • Guia Capixaba
  • A vida é como um livro


terça-feira, 7 de março de 2017

Pastel de Natas, ora pois! 4 lugares imperdíveis!


Viajar a Portugal é se inserir em um mundo de sabores! A culinária portuguesa é rica, e super saborosa.

Um dos mais famosos doces, e delicioso, é o Pastel de Natas. Símbolo do país, a casquinha fina de massa folhada, super recheada com o creme, deixa a boca salivando!

Em qualquer lugar que visitar - bar, restaurante, padaria - a iguaria estará disponível.

Para ajudar, selecionamos 4 (quatro) lugares para que desfrute o Pastel de Natas!

1. A Padaria Portuguesa - a rede de padaria/cafeteria está presente em toda Lisboa. Possui ambiente aconchegante, e um delicioso Pastel de Natas. Aproveite para se sentar e apreciar outros sabores que o local oferece.


2. Chiado Caffé - no Chiado, como o nome diz, a cafeteria tem pastel de natas fresco, e um atendimento impecável! Tome por lá seu café da manhã, ouvindo as notícias, comendo pastel de natas e tomando uma media leite (xícara de café com leite).



3. Manteigaria - bem em frente à Praça Camões, a pequena porta é uma fábrica incessante de pastéis de nata. As Senhoras de uniforme branco não param um minuto de vender estas delícias, enquanto os homens os fabricam, logo atrás do vidro. Não há lugar para se sentar. Não se assuste, ela está sempre cheia, mas vale a pena a visita!




 4. Fábrica da Nata - A cafeteria possui um espaço lindíssimo, e permite que se visualize a confecção dos pastéis de nata. Vale muito a pena conhecer. Além do pastel, há diversos salgados, doces, cafés e sucos (sumos).




Conhece algum destes? Tem alguma outra dica? Conte-nos!!

Aproveite a sua viagem!!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

24 horas em Luxemburgo


Pequenininho e lindo! Luxemburgo é um país surpreendente!

Entre a França, Bélgica, Alemanha e Holanda, Luxemburgo possui paisagens deslumbrantes.

A capital, homônima, parece construída a dedo para deixar nossos olhos embasbacados, e é Patrimônio da Humanidade pela Unesco, inscrito como Patrimônio Cultural Imaterial.

Perfeitamente preservada, para se chegar ao Centro Histórico passamos por pontes com um lindo vale, o que deixa ainda mais belo o local.

Já no Centro, as praças e ruas são repletas de árvores, com esculturas e prédios lindos!

Listamos os locais imperdíveis para que desfrutem Luxemburgo em 24 horas!

1. Praça da Constituição

Desta praça é possível ter uma vista linda de Luxemburgo. A praça contém o Monumento da Lembrança (Gëlle Fra), dedicado aos luxemburgueses que estiveram na Primeira Guerra Mundial, e também na Segunda (na pedra de mármore em sua base).

O que mais me chama atenção, na verdade, é sua amplitude e verde. Ótimo lugar para descansar das andanças em torno da cidade.




2. Rocher du Bock

Este foi o local que mais gostei. É o berço da cidade.

No início existia um castelo, construído em 963, e ao longo dos anos, acrescentaram-se muralhas, fortes que abrigavam soldados, cavalos, oficinas, cozinhas.



Em 1875 a estrutura foi arrasada, mas as casamatas mantidas, sob pena de se também demolir parte da cidade. Permanecem 17 (dezessete) quilômetros de túneis!

As casamatas foram inscritas como Patrimônio da Humanidade em 1994, pela UNESCO.


O mais gostoso é poder caminhar por todo este espaço e imaginar tudo que ali foi vivenciado. Quantos mistérios não abriga?

3. Catedral de Notre-Dame

A Catedral foi construída em 1613, e origialmente era uma catedral jesuíta.



Imponente, fica bem no Centro da Cidade. Possui um estilo gótico e lindos vitrais.

4. Palácio Grão-Ducal

O Palácio teve sua construção iniciada em 1572, mas apenas em 1817 se tornou a residência oficial do Grão-Duque, Monarca e Chefe de Estado, sendo usado pelo Soberano no exercício das funções oficiais.



Além destes locais, o gostoso de Luxemburgo é aproveitar suas praças arborizadas e ruas estreitas que nos encantam com tantos prédios lindos, intocáveis.



Gostou? Já conhece? Deixe um comentário!

Não conhece ainda? Que tal colocar na listinha como próximo destino?!

Aproveite sua viagem! 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Airbnb - alugar apartamento é uma boa escolha?

O mais novo site de aluguéis de apartamentos, comentado e utilizado pela maioria, e que engloba o mundo todo, é o Airbnb. Diferentemente de outras plataformas, o site não possui apartamentos próprios, nem mesmo qualquer relação direta com os proprietários (ganha comissão com os aluguéis, mas não responde juridicamente pelos imóveis).

E aí, o que nós viajantes ganhamos? Ganhamos muitas opções de apartamentos: novos, antigos, simples, luxuosos, com preços que cabem no bolso e aqueles com os quais vamos sonhar... muitas portas se abrem...

E pensando no preço e no fato de ter cozinha e sala (não ser apenas um quarto de hotel), decidi alugar um apartamento pela Airbnb. Há alguns anos eu já tinha tido a experiência da locação, mas através de outros sítios eletrônicos, e todas foram extremamente positivas - o que não posso dizer desta vez.

Após ver vários apartamentos, inúmeras fotos, e filtrar pelos valores que poderia pagar, decidi por um apartamento de 2 (dois) quartos, pois iria dividir com uma amiga e sua filha (o apartamento acomoda 4 pessoas).

Até a nossa chegada, o locador nos tratou muito bem, e combinamos, inclusive, um check in antecipado, já que os hóspedes anteriores sairiam cedo.

Todavia, ao chegar no apartamento, a locadora (marido e mulher locam diversos imóveis) nos foi pouco simpática e parecia ter muita pressa em nos mostrar o imóvel e ir embora. 

O imóvel era no 3º (terceiro) andar, com escadas. O anúncio não informava.

Para ser sincera, acho que era um sótão que foi adaptado. Não pareceu ser isso um problema, mas poderia ter sido, considerando que o teto de um dos quartos é baixo, o que dificulta sua utilização.




Mas algumas outras coisas aborreceriam mais. O banheiro não tinha aquecimento, e a ducha de banho estava com o suporte quebrado... sempre precisávamos segurar a ducha para o banho - inclusive para lavar os cabelos, e ainda, o banheiro tinha um cheiro forte de esgoto (do encanamento), bem desagradável. Como era inverno, manter a janela aberta era um problema... Para deixar ainda melhor, recebemos em 3 (três) dias visitantes ilustres: lesmas! Isso mesmo! As pequenas e nojentas lesmas estavam no box e na parede do banheiro.. eram várias.. nunca pensei que fosse passar por isso!!!

Como dito, um dos motivos que levo à escolha pelo apartamento foi o fato de ter cozinha. Em outros já utilizados, a cozinha era completa, vários utensílios. Neste, diversamente, embora tivesse forno, fogão, cafeteira e microondas, eram poucos copos, 4 pequenas panelas. Nos deixaram um vinho de cortesia, mas o saca rolhas estava quebrado e não havia taças.



Para completar, o apartamento contava com 2 (dois) pequenos aquecedores portáteis. Um deles parou de funcionar, e comuniquei por mensagem (whatsapp). A locadora esteve no imóvel para realizar a troca. Simplesmente entrou sem bater na porta, sem interfonar previamente. Minha amiga estava no banho, a filha dormindo, e eu fora de casa. A locadora foi direto ao banheiro e bateu na porta com força, avisou que estava a trocar o aquecedor, e foi embora. Achei uma falta de respeito. O apartamento está locado, não pode entrar sem avisar previamente.




Por isso, acho que podemos alugar novamente, mas algumas coisas precisam ser mais bem estabelecidas.

Depois da locação, pesquisando mais no site do Airbnb, e com o auxílio de uma amiga, descobri que podemos fazer perguntas antes de fecharmos o aluguel. Acredito que ajuda bastante, pois é possível fixar alguns limites previamente.

Como sugestão, pergunte:

a. Como se dá o acesso ao apartamento? Se for em cidade antiga, é provável que tenha ladeiras ou escadarias, e também, pode ocorrer de não ter elevador.

b. Há aquecedor e/ou ar condicionado? A depender da época do ano, são itens essenciais.

c. Qual a melhor forma de comunicação com os responsáveis pelo imóvel? Com o whatsapp fica mais fácil e não se paga a ligação (que pode ser interestadual ou internacional).

d. Se houver algum problema no apartamento, como ele será resolvido? Se eu tivesse feito esta pergunta, evitaria que a responsável adentrasse sem avisar...

e. Há utensílios domésticos, roupas de cama e banho?

f. Em caso de avaria com algum utensílio (ex. copo quebrado), é preciso repor? Como será feito?

g. Como se dá o check out? É preciso aguardar o responsável ou apenas deixar a chave e ir?

h. Se estiver viajando com outras pessoas, pergunte se há chave adicional do apartamento. Muitas vezes, saímos com destinos diferentes, e o fato de ter apenas uma chave limita o grupo.

i. Pesquise a vizinhança, se o bairro é calmo ou tem atividades noturnas, e veja qual se encaixa em seu perfil.

Essas são as dicas! Com certeza você tem uma especial!

Qual a sua experiência? Compartilhe conosco!

(as fotos são do apartamento que locamos, em janeiro de 2017).